sexta-feira, 14 de julho de 2017

NUDEZ ESPIRITUAL - VESTIR A ROUPA DO PECADO!

“... E vendo Moisés  que o povo estava despido, porque Arão o havia despido para vergonha 
entre os seus inimigo” ( Êxodo 32:25).
A nudez espiritual é estar vestido a roupa do pecado. Adão e Eva ao pecarem sentiram-se nus (Gn. 3:7). O povo de Israel ao pecarem contra Deus, criando o bezerro de ouro, sentiu-se despido (texto acima). Vamos refletir sobre o tema: “ Nudez Espiritual – Vestir a Roupa do Pecado”. Lições que podemos extrair desse  episódio do povo Hebreu, no deserto:
1-    Trocar Deus Verdadeiro  Por deuses Imaginários.
“... Mas, vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, ajuntou-se o povo a Arão e
disseram-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses que vão adiante de nós...”  ( Êxodo 32:1)
O povo Hebreu havia acostumado a conviver com a idolatria do Egito. As dez pragas que vieram sobre o Egito representava a ação de Deus por cada deus que os egípcios idolatravam. O projeto original de Deus, para os Hebreus, para ser um povo separado para O adorar com exclusividade. O pouco tempo que Moisés permaneceu no monte Sinai, para receber os dez mandamentos, foi o suficiente para o povo afrontar a Deus e exigir de Arão que fizesse um bezerro de ouro para ser como deus. Como cristãos podemos não ter ídolos religiosos, mas podemos provocar Deus usando recursos materiais, o conhecimento e até os dons, para ocupar o Seu lugar em nossas vidas. A nudez não muda, o que muda são maneiras diferentes de praticar  idolatria. Idolatria religiosa querer tentar usar o próprio Deus para satisfazer as nossas expectativas e mesquinhos desejos. É ousar querer dar ordens para Deus para atender necessidades egoístas. Isso é idolatria de colocar  o "eu" em primeiro lugar da vida.

2-    Trocar Adoração a Deus  Por  Adoração a Idolos.
“... Porém ele disse: Não é alarido dos vitoriosos, nem alarido dos vencidos, mas o alarido dos que cantam eu ouço” (Êxodo 32:18).
A inexperiência de Josué levou a pensar que o povo estava ensaiando um cântico de guerra para cantar a cada vez que vencesse um inimigo. Moisés discerniu que não se tratava de um cântico de batalha mas alaridos de adoração a ídolos, que não se tratava de adoração a Deus. Moises ao ver aquela multidão em alaridos extasiantes logo viu que “o povo estava despido”.
Há muitos alaridos ocupando a verdadeira adoração a Deus. Há muitos lideres religiosos ingênuos que não discernem os alaridos dos adoradores. São adoradores despidos espiritualmente.

3-    Trocar Ofertar a Deus Para Ofertar a Idolos.
“... Então, todo o povo arrancou os pendentes de ouro que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a
Arão, e ele os tomou das suas mãos,... e fez dele um bezerro de ouro de fundição...”( Êxodo 32:3.a.)
Já comentamos que o povo Hebreu recebeu uma forte influência da cultura religiosa egípcia. Foram IV séculos de convivência com um povo pagão que não conhecia a Deus e não vivenciou as experiências dos Hebreus. Essa forte influência pagã desnudava os Hebreus quando passavam por provas no deserto. Sentiam saudades do conforto e da  comida, esqueciam do sofrimento para manter a produção diária. Quando esse tipo de crise abate qualquer pessoa o Diabo entra em cena para tirar vantagem. O crente não está livre desses abatimentos emocionais. Quando bate à porta uma adversidade qualquer coisa serve para se apoiar. Outra situação quando o crente, por ganância,  serve o deus das riquezas e não o  Deus da provisão. O deus da riqueza é comandado por Mamom, obcecado por dinheiro, por fama, por poder. O Deus provedor é abençoador, acrescenta, multiplica bênçãos sem medida em favor daquele que O busca em primeiro lugar na vida. Quem serve a Mamom está despido espiritualmente. Quem serve ao Deus provedor tem a marca da integridade. Para vergonha nossa prisões de “notáveis” figuras na politica e nos negócios, tem sido rotina em nosso país. São pessoas despidas da ética, da moral e de  visível nudez espiritual.

4-    Trocar a Misericórdia pela Ira de Deus.
“... Vai, pois, agora, conduze este povo para onde te tenho dito;  eis que o meu Anjo irá adiante de ti; porém, no dia da minha visitação, visitarei, neles. o seu pecado. Assim feriu o Senhor o povo, porquanto fizeram o bezerro que Arão  tinha feito” ( Êxodo 32:34,35).
Trocar a misericórdia de Deus pela ira do próprio Deus é como trocar uma tonelada de ouro puro por um quilo de barro. É trocar a vida pela morte. Os hebreus em um momento de muita fraqueza fizeram isso. Deus visita o pecado não importa em que circunstância ocorreu e em que pessoa aconteceu. Essa visitação ocorre tanto no plano terreno como no plano da eternidade. Nada será ocultado dos olhos de Deus. Quantas pessoas sofrem  consequências financeiras porque fizeram seus bezerros de ouro. Estão idolatrando seus empregos, seus bens, seus status sociais.  Estão despidos espiritualmente.

5-    Trocar um Coração Cheio de Deus por uma Coração Vazio de Deus.
“... E ninguém aparecerá vazio diante de mim....”( Êxodo 34:20.b)
Essa curta frase é de imensurável valor espiritual, passa desapercebida de nossas leituras bíblicas. Aparecer na igreja com o coração vazio de Deus exprime o quanto pobres estamos do conhecimento de Deus. Coração vazio, sinaliza outros vazios, como mãos vazias para ofertar a Deus. Deus descreveu na lei dos Hebreus como deveriam se apresentar no templo para adorá-Lo. As ofertas eram as primícias das colheitas e do rebanho (Exodo.cap.34). Deus não é Deus de Hebreus! Deus é Deus de toda obra de Sua Criação, somos as primícias de Sua criação. Trocar o coração cheio da graça e da misericórdia de Deus,  por um coração vazio de Deus  é escolher a nudez espiritual.  

Refletindo...
"... E bebeu do vinho e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda" 
( Gn. 9:21).
Noé depois de todo o seu sucesso de salvar a semente humana e de sua própria familia, entra em declinio moral. Acabou amaldiçoando a sua própria semente que salvou. O seu neto, Canaã, foi amaldiçoado pelo seu próprio avô por tê-lo encontrado embriagado e desnudo.
Nudez espiritual nada mais é do que está vestido da roupa do pecado. Assim aconteceu com Adão e Eva, com Noé e com o povo Hebreu. E assim acontece com cada um de nós, cristãos, que vestimos a roupa do pecado. Quantos filhos, netos e gerações não são amaldiçoadas por atos inconsequentes dos seus pais, avós e  ancestrais longinquos. "O que vencer será vestido de vestes brancas". Cuidemos de nossos  comportamentos porque definem nossas vestes!

Por amor a Cristo!