sábado, 8 de julho de 2017

DUPLICIDADE - PROFANAR O PRINCÍPO DA CRIAÇÃO!

"Não pense tal pessoa que receberá  coisa alguma do Senhor, pois tem mente dividida e é instável em tudo o que faz"( Tg. 1:7)
O dicionário define a palavra duplicidade como: “ falso; fingido”, razão  suficiente para não  se praticar na vida.  Deus abomina todo tipo de duplicidade, mas ama aqueles  que  se  submetem as leis que regem as obras de sua criação.

A duplicidade é uma anomalia humana, uma maneira disfarçada em querer  adulterar as leis naturais de Deus. Querer estabelecer o falso no lugar do verdadeiro. Portanto, a duplicidade não é recomendada em nenhum aspecto da vida.  Vamos tomar como exemplo a lei da semeadura:
“... Não semearás a tua vinha de diferentes espécies de sementes, para que se não profane o fruto da semente que semeares e a novidade da vinha ”  ( Dt. 22:9)
Se usarmos de sinceridade este é um dos desafios mais difíceis da vida:  “não semear  diferentes espécies de sementes ”.  Na prática, como se  pegássemos  sementes de soja, milho, feijão, abóbora e semeássemos todas na mesma cova. Qual dessas sementes sobreviveria? Provavelmente nenhuma delas. Exatamente o que muitas pessoas  fazem com suas  vidas. Semeiam muitas coisas na vida, algumas desnecessárias, outras falsas, ocupando o lugar daquelas que são necessárias e verdadeiras. Semeiam como se a vida fosse um vale tudo. Deus abomina esse tipo de conduta por adulterar a essência do propósito da vida. É uma conduta em que o falso ocupa o lugar do verdadeiro. Uma   falsificação  que vai gerar consequências genéticas: “ para que se não profane o fruto da semente”. Profanar significa:  “ violar ou tratar com irreverência as coisas sagradas; desonrar, aviltar; tornar impuro”.  Alguns exemplos de profanar o fruto da semente:
1-  Profanamos  “  o fruto da semente “  quando Deus não  é exclusivo na  vida. 
“... Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servia a Deus e a Mamom.”  ( Mt. 6:24)

Profanar é afrontar a santidade e a autoridade de Deus. O fruto da adoração a Deus  pode ser profanado quando nosso coração está em duplicidade, servindo a Deus e a Mamom. Profanamos quando negociamos valores morais, éticos e espirituais, a exemplo de Esaú, que vendeu a sua primogenitura. Não poderemos ser bem-sucedidos, se separarmos a nossa comunhão com Deus do restante de nossa existência. Ele deve ser o Senhor de tudo.

2-  Profanamos “ o fruto da semente"quando o voto de fidelidade no casamento é rompido   
“... Porque o Senhor foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal, sendo ela a tua companheira e a mulher do teu concerto” ( Ml. 2:14) 
A  quebra de um  voto matrimonial  envolve  a quebra de uma lei divina. Não deixa de ser   uma profanação ao  “fruto da semente”. O fruto da semente aqui são as gerações que serão afetadas. Divórcio é uma falsa lei, elaborada pelos homens,  cujo fim é destruir gerações. A profanação do voto sagrado do casamento tem contribuído para maldições familiares em escalas desastrosas.  

3.  Profanamos  “ o fruto da semente “ quando  a  concupiscência da carne              prevalece sobre a santidade de Deus. 
“... homens amantes de si  mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos e profanos....” ( 2 Tm. 3:1-3)
Toda prática carnal é uma profanação ao fruto da semente. O fruto da semente é uma alusão a santidade de Deus. O nosso corpo é santuário do Espírito Santo, quando usamos práticas pecaminosas estamos profanando a Deus. O pecado contra o corpo é o pecado que mais afronta a santidade de Deus. A condição de ver a Deus é viver em santidade. 

4. Profanamos “ o fruto da semente “ quando retemos a parte de Deus e passamos     uma
 falsa  imagem de generosidade.
“ ...   e reteve parte do preço, sabendo-o  também  sua mulher; e, levando uma parte, a depositou aos pés dos apóstolos...”  ( Atos 5:2)
O texto  é uma alusão ao que fizeram  Ananias e Safira.  Praticaram uma falsa imagem de generosidade, tentando imitar o gesto de Barnabé, que vendera uma vinha e ofertou-a totalmente a Deus. Foram severamente punidos;   porque a desonestidade,  a cobiça e a avareza são destrutivas para  o evangelho. Toda mentira é reprovável, mas quando mentimos para tentar enganar a Deus e a Igreja, estamos andando na contra mão do evangelho de Jesus Cristo, que é transformação de caráter e mudança de vida. 
Para refletir:
Reflita na mensagem acima. Se você é um cristão é fruto dessa semente.  Sua vida é uma semente do Senhor, através de suas atitudes você  está semeando sementes de vida eterna.  Você Tem tido todo cuidado para não semear sementes  que são abomináveis a Deus? Seja autentico, verdadeiro e que a duplicidade não tenha lugar no seu coração. Amem!
Por amor a Cristo